• London
Lelé's Capoeira Blog

Mestre Pastinha’s album – Capoeira Angola/Eternamente

Mestre Pastinha’s album – Capoeira Angola/Eternamente

07/03/2017

I’m going to write down the songs from Mestre Pastinha’s ‘Capoeira Angola/Pastinha Eternamente’ album for singing practice and as a playlist for me to learn. (track listing). And I might as well add his spoken words!


(Track 1)
Ê, maior é Deus.
Ê, maior é Deus, pequeno sou eu
O que eu tenho, foi Deus que me deu x2
Na roda da capoeira, ha ha
Grande e pequeno sou eu

Eu me chamo Vicente Ferreira Pastinha. Eu nasci pra capoeira, só deixo a capoeira quando eu morrer. Eu amo o jogo da capoeira. E não há outra coisa melhor na minha vida, no resto da minha vida, do que a capoeira.

Bahia nossa Bahia
Capital é Salvador
Quem não conhece a capoeira
Não pode dar seu valor
Capoeira veio da África
Africano quem a trouxe
Todos podem aprender
General e também Doutor
Quem desejar aprender
Venha aqui em Salvador
Procure o Mestre Pastinha
Ele é professor

Ê viva meu mestre
Iê que me ensinou
Iê capoeiragem
Iê Rio de Janeiro
Iê Morro de São Paulo
Iê Farol da Bahia

Ê, Dona Alice não me pegue não
Não me pegue,
não me agarre,
não me pegue não

Ê, Canarinho da Alemanha,
Quem matou meu curió?
Quem tem fé em Deus
Nunca cai em bozó
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió?
Eu jogo capoeira,
Mas Pastinha é o maior
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió?
O segredo da lua,
Quem sabe é o clarão do sol
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió?
Eu jogo capoeira
Na Bahia e Maceió

…Hoje eu estou com 79. Olha, a minha vida é uma vida muito atrapalhada pra eu contar, mas tem centenas, milhares de pessoas que me conhecem, que já me acompanharam de infância e que vem me acompanhando, poderá dizer alguma coisa. Todos eles que quizer dizer alguma coisa sobre a minha biografia, pode dizer qualquer coisa. Eu aceito tudo e qualquer. Agora tem uma coisa, não fui bobo na roda da capoeira, não fui bobo…

Valha-me Deus, senhor São Bento
Vou cantar meu barravento
Valha-me Deus, senhor São Bento
Buraco velho tem cobra dentro
Valha-me Deus, senhor São Bento
Com uma e duas ou tres lá dentro
Valha-me Deus, senhor São Bento
Capoeira só Angola
Valha-me Deus, senhor São Bento
Essa é minha opinião
Valha-me Deus, senhor São Bento
Eu tanto jogo para cima
Valha-me Deus, senhor São Bento
Eu também jogo para o chão

(Track 2)
(an excerpt from full CD)

Na mandinga num fui bobo não, viu? Agora pra eu dizer, pra eu contar assim, eu não vou contar nada porquê se eu contar fica uma coisa muito longa e parece que estou no céu.

Ê cidade de Assunção
Ê cidade de Assunção, capital de Itamaraty
Not 100% sure of next line, but two possible versions:
a) È engano das nações das sepulturas do Brasil
b) Somos todos das nações dessa cultura do Brasil
Pastinha já foi a África
Pra mostrar a capoeira do Brasil

Eu já vivo enjoado,
De viver aqui na Terra,
Ó mamãe eu vou pra Lua,
Falei com minha mulher,
Ela então me respondeu,
Nós vamos se Deus quiser,
Vamos fazer um ranchinho,
Todo cheio de sapé,
Amanhã as 7 horas,
Nós vamos tomar café,
Eu que eu nunca acreditei,
Não posso me conformar,
Que a Lua venha à Terra,
Que a Terra vai ao ar,
Tudo isso é conversa,
Vão comer sem trabalhar,
O senhor amigo meu,
Veja bem o meu cantar,
Quem é dono não ciúma,
Quem não é quer ciumar?

Ê galo cantou,
Iê cocorocou,
Iê menino é bom, camará…
Iê sabe jogar
Iê capoeiragem

Quebra jereba
Quebra tudo hoje
Amanhã o quê que quebra
Amanhã nada quebra

Dona Maria, que vende aí?
Côco e pipoca que é do Brasil

Quando eu morrer,
Me enterrem na Lapinha
Calça, culote e paletó almofadinha
Adeus Bahia, zum zum zum Cordão de Ouro
Eu vou partir porque mataram meu Besouro

Ê zum zum zum zum!
Ê Besouro!

Muitas disordem que o capoeirista fazia não era propriamente por ele, era também provocado. Porquê se estava numa vadiação, num grupo com um berimbau, não é, na mão, eles passavam, entendia de querer tomar, pra quebrar… Aí inflamava, né? Muito capoeirista não queria perder seu instrumento, não é? Então o que nós tinhamos que, brigar.

Um instrumento, por exemplo, como o berimbau, não é somente intrumento. Agora vou aproveitar e dizer alguma coisa: não é somente instrumento. Muita gente tem que é o instrumento berimbau berimbau berimbau. Berimbau é música, é instrumento…

(Track 3)
(an excerpt from full CD)
Menino preste atenção no que eu vou dizer
O que eu faço brincando você não faz nem zangado
Não seje vaidoso nem despeitado
Na roda de capoeira, haha
Pastinha já está classificado

O berimbau é pra música, é instrumento, música. Também é instrumento ofensivo. Que ele na ocasião de alegria é um instrumento, nós usamos como um instrumento e na hora da dor ele deixa de ser instrumento pra ser uma foice de mão.

Eu vou ler o B-A-Bá
B-A-Bá do Berimbau
A cabaça e o caxixi, colega véio
Com dois pedaços de pau
A moeda e o arame, colega véio
Aí está um berimbau
Berimbau é um instrumento
Que toca numa corda só
Vai tocar São Bento Grande, colega véio
Toca Angola em tom maior
Agora acabei de crer, colega véio
Berimbau é o maior

Camaradinho
Ê, viva meu Deus
Ê, viva meu Mestre
Ê, quem me ensinou
Ê, a Capoeira
Ê, ele é mandigueiro
Ê, ele é cabeçeiro
Ê, sabe jogar
Ê, a Capoeira

Ai ai ai dê
Dona Maria como vai vosmecê
Joga bonito que eu quero ver
Vim aqui pra ver você
Dona Maria como vai vosmecê
Era eu era meu mano
Quando nos andava junto
Vamos ver se Deus consente
Numa cova dois defuntos
Joga bonito que eu quero ver
Joga bonito que eu quero aprender
Ê aí quero ver você

Xô xô meu canário, meu canário é cantador
Foi embora e me deixou
Meu canário é da Alemanha
Nego velho também apanha
Meu canário é cantador
Alemão que me mandou

Luanda ê meu boi
Luanda ê, Pará
Marina samba em pé
Tereza samba deitada
Lá no cais da Bahia
Não tem lê lê nem tem lá
La ê la ê la
Ô lê lê

(Track 4)

Eu vou contar. No meu tempo eu usava também uma foicizinha do tamanho de uma chave. A foice vinha com um corte e um anel pra encaixar o cabo. Mas eu como era muito bondoso, era muito amoroso, né, pra aqueles que quisesse me ofender, eu então mandava abrir outro corte nas costas. Se eu pudesse eu mandava abrir outro mais, não é, mas num podia mandava abrir outro corte, ficava dois corte. E na hora desmontava o berimbau e encaixava a foice, e aí eu ia manejar né?

Porquê o capoeirista tanto ginga, como pula, ….?, ropia, e como também ele sanga(?) e como defende-se também.

O capoeirista tem a mentalidade pra tudo. E quanto mais o capoeirista calmo melhor para o capoeirista.

Eu vou ler o meu ABC
Porque não queria cantar
Foi no Gengibirra quem me dera esse lugar
Vieram muitos mestres, haha, com o Pastinha jogar

Vou me embora para São Paulo
Vou me embora seu doutor
Mas trouxe meu berimbau
Um amigo de quem sou
Eu não sou querido aqui
Mas em minha terra eu sou
Quem quiser saber meu nome
Quem quiser saber quem sou
Sou discípulo de Pastinha
Menino de Salvador
Delegado me intimou
Dentro da secretaria
Para prestar depoimento
Daquilo que eu não sabia

Ê, salve a Bahia
Ê, salve o Brasil
Ê, vamos nos embora
Ê, Pelo mundo afora

Vai dizer a meu senhor
Que a manteiga derramou
A manteiga não é minha
A manteiga é de ioiô

A canoa virou marinheiro
Ê, no fundo do mar tem dinheiro

[…] O capoeirista não deve ser afobado. O capoeirista não deve provocar. O capoeirista não deve fazer certas coisas. No meu tempo, eu era capoeirista. Também tinha capoeirista que andava torto, mas torto, como a natureza não fez ele. Porquê ele pegava um lenço, botava no pescoço, um lenço grande, uma calça boca que dava trinta centímetros de boca, chinelo de xadrin, né, chapéu jogado do lado. Aí ele saía todo torto, ou do lado esquerdo, ou do lado direito, conforme ele tivesse a, o jeito né, se ajeitava nisso.

E andava pelo meio da rua com aquele gingado, né? Só a calça parecia, a boca da calça parecia uma saia! Mais uma saia do que calça. Capoeirista tinha tudo isso naquela época, né? Capoeirista se prestava naquela época pra muita coisa. E eu admiro hoje se o capoeirista se prestar pra certas coisas.

Adeus adeus, boa viagem
Eu vou me embora, boa viagem
Eu vou com Deus, boa viagem
Nossa senhora, boa viagem
Chegou a hora, boa viagem
Adeus, boa viagem

Ô, Quem vem lá sou eu, sou eu
Quem vem lá?
Ô, Sou eu, sou eu
Ô sou eu brevenuto
A cancela bateu
Brevenuto sou eu

Dá dá, dá no nego
No nego você nao dá
Ê, No nego você nao dá
Ê, se não der, vai apanhar
Ê, No nego você nao dá
Esse nego é malvado, esse nego é o cão
Ê, No nego você nao dá
Ê, se não der, vai apanhar
Ê, No nego você nao dá
Esse nego é malvado, esse nego é o cão […]
Ê, vai apanhar no meio da sala

Ê, pega esse nego, derruba no chão
Esse nego é malvado, esse nego é o cão
Esse nego é o diabo, esse nego é o cão
Esse nego é maluco, esse nego é o cão
Esse nego é perverso, esse nego é o cão

(Track 5)
(an excerpt from full CD)

Eu sou um dos exemplos do passado. Aqui tem muitos veteranos. Velho mesmo! Capoeirista veterano, mais idoso do que eu. Menino da menina dos meus olhos, capoeirista…

Eu tinha aqui um aluno por nome Aberrê, esse foi meu aluno e era afilhado do mesmo padrinho meu. Morava na ladeira do São Francisco e eu morava na ladeira do Muntun. Eu levava, ele ia lá pra casa pra eu ensinar ele a jogar capoeira, quando eu dei baixa.

Iê!
Eu nasci pra capoeira
Capoeira homem me fez
Só deixarei a capoeira haha
quando eu morrer

Iê eu tava em casa
Sem pensar sem imaginar
Quando ouvi bater na porta
Salomão mandou chamar
Para ajudar a vencer
A batalha liderar
Eu que nunca viajei
Não pretendo viajar
Entre Campos e Campinas
Pernambuco e Ceará
Era eu era meu mano
Era meu mano era eu
Nós pegamos uma luta
Nem ele venceu nem eu
Eu não sei se Deus consente
Numa cova dois defuntos
Na Bahia eu nasci
Salvador eu me criei

Ê galo cantou
Iê cocorocô
Vamo nos embora
Ê pela barra afora
E ele é mandingueiro
E ele é cabeçeiro

Tabaréu que vem do sertão
Ele vende maxixe, quiabo e limão

(yep, gungo, not gunga)
Esse gungo é meu, esse gungo é meu
Gungo é meu, eu não posso vender
Esse gungo é meu, esse gungo é meu
Gungo é meu, foi meu pai que me deu
Gungo é meu, eu não dou a ninguém

Tive um amigo, me chamou pra eu tomar conta de uma casa de jogo. Eu fui tomar conta dessa casa de jogo. Tinha necessidade de ir ao chefe de polícia pra tomar uma licença, pra poder abrir a casa, eu fui. Me levaram lá o Dr. Alvaro Cobra. Quando eu entrei, estou na casa do Dr. Alvaro Cobra “Dr., é este o rapaz que vai tomar conta da casa do jogo.”

Aí ele olhou assim pra mim, me olhou todo de cima a baixo, com os desenhos, aí foi e disse “Esse, esse garoto que vai tomar conta da casa de jogo? Isso é um fedelho! Vai tomar conta de uma casa de jogo?”

Meu camarada disse “É, mas é esse mesmo que eu quero.”
“Mas esse mininu não pode tomar conta de uma casa de jogo!”
Ele disse “É doutor, esse é mininu, mas é esse mesmo que eu quero.”
Aí o doutor se conformou, né, em dar a licença. Aí virou pra mim e disse “Como é seu nome?” Eu disse “Vicente Ferreira Pastinha.”

Suspendeu a carteira e tirou as carta toda, e disse “É você que é o valentãozinho que eu tenho aqui no meu distrito, num conhecia você!” Só de carta de queixa, né? E aí digo, cá comigo né, eu digo “pronto, tô gun, tô preso né?”

Adão, Adão, oi cadê Salomé Adão?
Salomé foi passear
Adão, Adão, oi cadê Salomé Adão?
Foi para a ilha de Maré

Tão dormindo, tão sonhando
Tão falando mal de mim
Ê na roda da capoeira

Here Pastinha explains how he was given Capoeira. Pastinha was invited to the Sunday Mestres only Capoeira roda because Aberrê (a student of Pastinha’s) used to go regularly and they wanted to meet his mestre (probably because Aberrê was such an amazing capoeira). When Pastinha got there, Amorzinho shook his hand and handed Capoeira over for Pastinha to ‘look after it’.

No Gengibirra tinha um grupo de capoeirista. Só tinha Mestre. Os maiores Mestres daqui da Bahia. Todo domingo tinha ali uma capoeira que só ia alí Mestre, num tinha nada de aluno, era Mestre. E esse ex-aluno meu, Aberrê, fazia conjunto lá. Então os Mestres lá procuraram saber, querer me conhecer. Perguntou ao Aberrê quem tinha sido o Mestre dele. Ele deu meu nome.

“Traga esse homi aqui que nóis precisamos conhecer ele! É tão falado, é tão bom capoeirista. Traga ele aqui pra gente conhecer.”

O Aberrê me convidou pra eu assistir ele jogar no dia de domingo. Quando eu cheguei lá procurou o dono do, da capoeira, que era o Amorzinho, era um guarda civil. Procurou o Amorzinho e o Amorzinho no apertar da minha mão foi e me entregou a capoeira pra eu tomar conta.

Mandá lecô
Cajueiro
Mandá oiá
Cajueiro

========================================================================
Remastered mp3 version for sale on DunDak – Eternamente
Mestre Pastinha e Sua Academia ‎– Capoeira Angola
Label:Philips ‎– R 765.097 L
Series:Série De Luxe – SCDP-PF-001/GB
Format:Vinyl, LP, Mono
Country:Brazil
Released:1969
Genre:Latin, Folk, World, & Country
Style:African, Corrido

FAIXAS:
Lado 1
1 Maior é Deus / Bahia, Nossa Bahia / Ei, Dona Alice, Não Me Pegue Não / Canarinho Da Alemanha / Valha-me Deus, Senhor São Bento
2 Eu Já Vivo Enjoado / Quebra Gereba Quebra/ Dona Maria, O Que Vende Ai? / Lapinha
3 B-A-BÁ do Berimbau / Ai, ai, Aidê / Xô, Xô, Meu Canário / La-Lain-Lai-Lai

Lado 2
1 Eu Vou Ler Meu ABC / Vou-me Embora Pra São Paulo / A Manteiga Derramou / A Canoa Virou, Marinheiro / Adeus… Adeus / Quem Vem Lá / Dá, Dá, Dá no Nêgo / Pega Esse Nêgo, Derruba No Chão
2 Eu Nasci Pra Capoeira / Eu Estava em Casa / Tabaréu Que Vem do Sertão / Este Gungo é Meu / Adão… Adão… / Tão Dormindo… Tão Sonhando / Abalou Cajueiro
Back to top

One thought on “Mestre Pastinha’s album – Capoeira Angola/Eternamente

Leave a Reply

%d bloggers like this: